Vidas Partidas – Nacional

BrunoG | Categoria: Filmes.

Filme
Nome Original: Vidas Partidas
Nome Traduzido: Vidas Partidas
Direção: Marcos Schechtman
Roteiro: Marcos Schechtman
Gênero: Drama
Lançamento: 2016
Exibido no Brasil: 2016
Classificação:
Nota: 7,3
Pais de Origem: Brasil
Orçamento:

Sinopse: Na madrugada de 29 de maio de 1983, Maria da Penha Maia Fernandes acordou com o barulho de um tiro em seu quarto. Tentou se mexer mas não conseguiu. Havia sido baleada pelas costas enquanto dormia. O agressor: Marco Antonio Heredia Viveros, seu marido e pai de suas três filhas. Essa é a história real de Maria da Penha, classe média, farmacêutica bioquímica, mãe de três filhas, que esperou dezenove anos para ver a justiça aplicada ao seu ex-marido, o mesmo que tentou matá-la duas vezes, deixando-a, aos 38 anos, numa cadeira de rodas para sempre.

Trailer do Filme:

Dados do Arquivo
Idioma: Português
Duração: 1h 30min
Qualidade: HDRip
Nota de Video: 10
Nota de Audio: 10
Formato: AVI e RMVB
Codec de Video: XviD
Codec de Audio: Mp3
Tamanho: 695 MB | 324 MB
Legenda: Sem Legenda

Elenco
Juliana Schalch … Julia
Milhem Cortaz … Delegado Delmar
Domingos Montagner … Raul
Georgina Castro … Nice
Augusto Madeira … Advogado de Defesa
Naura Schneider … Graça
Denise Weinberg … Juíza
Nelson Freitas … Deputado Roberto Neves
Jonas Bloch … Promotor
Suzana Faíni … Dona Marli
Cacá Amaral … Advogado de Acusação
Ana Maria Orozco … Milagros

AVI
Download Filme: BRuploaD
Download Filme: BRfiles
Download Filme: UploadeD

RMVB
Download Filme: BRuploaD
Download Filme: BRfiles
Download Filme: UploadeD
Download Filme: UploadRocket

Crítica: Pertinente no conteúdo, Vidas Partidas se vale de um formato pouco atraente. A estreia nos cinemas de Marcos Schechtman – diretor conhecido pela parceria com a autora Glória Perez em produções da TV Globo, como Salve Jorge e Amazônia – De Galvez a Chico Mendes – remete à telenovela, caracterizada como um melodrama clássico, com um roteiro duro de José Carvalho (Bruna Surfistinha), que joga para a plateia, mas traz uma virada interessante, se valendo de um subnicho pouco explorado na cinematografia nacional, o do “filme de tribunal”.De cara, cabem duas observações, sendo: 1) A relação carnal do casal é ardente e mostrada sem pudores, fato raro entre as produções brasileiras, que não dão a devida representação à vida sexual da parcela da população de meia-idade (ponto para o filme); 2) A produção é muito bem contextualizada temporalmente, não apenas do ponto de vista técnico (cenário e figurino), mas principalmente ao retratar o machismo predominante da época, quando o “título de posse” do homem sobre a mulher era encarado (quase que) como normal – os ataques de ciúmes dele, a promoção dela no trabalho, a desigualdade entre os gêneros a respeito do que é permitido para cada um fazer fora de casa deixam o ponto muito claro (dois pontos para o filme).
Curiosidades:

Cenas do Filme:
Cena 1
Cena 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *