Obrigado A Matar – Dublado

BrunoG | Categoria: Filmes.

Filme
Nome Original: Return of the gunfighter
Traduzido: Obrigado a Matar
Direção: Joseph H. Lewis
Roteiro:
Gênero: Faroeste
Lançamento: 1955
Exibido no Brasil: 1955
Classificação: 16 Anos
Nota:
País de Origem: E.u.a
Orçamento:

Sinopse: O xerife Calem Ware (Randolph Scott) da cidade de Medicine Bent, está cansado de matar e de fugir das balas de seus inimigos. Para manter a paz na cidade, suas atividades em nome da lei e ordem destruíram sua vida pessoal. Agora, ele espera poder reconciliar-se com sua ex-esposa, Tally Dickinson (Ângela Lansburry), que agora é a estrela de um show musical itinerante. Mas, logo quando Tally chega à cidade, Ware é forçado a enfrentar uma grande quadrilha de bandidos liderada pelos terríveis Thorne (Warner Anderson) e Clark (John Emery). Assim, Ware precisa decidir entre cumprir seu dever e livrar a cidade dos bandidos enfrentando Baskam (Michael Pate), um pistoleiro de aluguel, ou abandonar as armas e se reconciliar com Tally. Desta vez, o xerife terá que enfrentar mais de um duelo…

Trailer do Filme:

Dados do Arquivo
Idioma: Português
Duração: 78 minutos
Qualidade: Dvdrip
Qualidade de Audio: 10
Qualidade de Vídeo: 10
Formato: AVI
Codec de Video: XviD
Codec de Audio: MP3
Tamanho: 700 Mb
Legenda PT-BR: S/L

Elenco
Randolph Scott … Marshal Calem Ware
Angela Lansbury … Tally Dickenson
Warner Anderson … Hamer Thorne
Jean Parker … Cora Dean
Wallace Ford … Dr. Amos Wynn
John Emery … Cody Clark
James Bell … Asaph Dean

AVI DUBLADO
Download Filme: BRUPLOAD
Download Filme: SALEFILES
Download Filme: SALEFILES
Download Filme: UPLOADED

Crítica: Este filme, que considero o melhor que Scott fez, segue vivo em minha mente por mais de uma razão;
1 – aquele contato diário, pela manhã, que o xerife Ware tinha com a dona da pensão antes de o mesmo descer para o café e enfrentar mais um dia no seu serviço. Achava perfeito aquele contato e aquele momento de bater no assoalho com o calcanhar da bota onde se entendiam perfeitamente ele e a velha senhora
2 – Aquela briga titânica, terrível e desigual que Scott tem no saloon com aquele gigante irmão do pistoleiro que ele matou no início do filme. O irmão grandão estava descontrolado e destruindo o saloon. Mas aí chega Ware (Scott) e tenta conte-lo. Mas o homem estava desgovernado e então tem uma briga desequilibrada e infernal, onde, no fim, por se tratar de um filme, o xerife Ware ganha. Ganha e sai do saloon, aos olhos de todos, como o grande herói e completamente são. E é aí que todos se enganam, pois, basta sair de vista e o xerife Ware se recosta na parede e começa a respirar fundo e por a mão nas costelas e a tossir, regurgitando a dor terrível que sentia depois de derrotar o gigante. E é aí que aparece o Dr. da cidade, o ator Wallace Ford, que o ampara antes da queda iminente e diz para ele; “Vamos, homem. Não precisa ser tão gigante assim para mim. Me segure e venha comigo”. Algo mais ou menos assim, caracterizando a verdade. E a verdade era que o xerife, na briga desigual que vencera, não sairá dela assim tão ileso. É um filme para se ver, rever e avaliar sua densidade, apesar de se tratar de um western B, mas que Joseph Lewis o dirigiu com maestria e escolheu um elenco capaz de lhe dar o resultado num filme como ele desejava ter. Vejam “Obrigado a Matar” mais uma vez e verão nele, depois destas palavras, coisas que não haviam observado antes. Porém, não se sintam péssimos cinéfilos, pois isto acontece normalmente, até comigo mesmo.
Curiosidades:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *